Notícias relacionadas

Publicada 31/10/2017

Atiramos para todos os lados e seguimos errando no ensino médio

 

Um estudo divulgado nesta semana atribui estatísticas sólidas a uma de nossas maiores catástrofes: o afastamento dos jovens da escola.

A pesquisa conduzida por Ricardo Paes de Barros, economista-chefe do Instituto Ayrton Senna e professor do Insper, revela que o número de brasileiros de 15 a 17 anos –faixa etária compatível com o ensino médio– soma 10,3 milhões.

Desse total, 2,8 milhões perdem o rumo da escola por variados motivos.

Parte significativa (1,5 milhão) nem chega a se matricular no início do ano, outra parcela (700 mil) para de frequentar as aulas antes do fim do período letivo e outra fatia (600 mil) é reprovada por faltas.

O pesquisador não inclui na conta outros 600 mil que repetem por baixo desempenho, o que não necessariamente inclui desengajamento, embora ele possa ser a –ou uma– causa da dificuldade de aprendizagem.

O estudo –que, além de Insper e Instituto Ayrton Senna, teve apoio da Fundação Brava e do Instituto Unibanco– elenca as inúmeras possíveis causas do afastamento do jovem.

Muitas podem soar como obviedade, mas normalmente não povoam nossas análises sobre o tema, que tendem a focar excessivamente a falta de qualidade do ensino.

 

Voltar

Mais notícias

Publicado em 09/11/2017
Três milhões de jovens, por ano, não frequentam a escola no país
Quando o ano de 2017 acabar, cerca de um quarto dos jovens de 15 a 17 anos – um contingente de 2,8 milhões de pessoas... Ver mais
Publicado em 31/10/2017
Um em cada quatro jovens vai abandonar o Ensino Médio até o final do ano
Ao menos 2,8 milhões de jovens entre 15 e 17 anos devem terminar o ano sem completar os estudos no Brasil, acarretando um prejuízo de... Ver mais
Publicado em 31/10/2017
Um em cada quatro jovens vai abandonar o ensino médio até o final do ano
A cada ano, quase 3 milhões de jovens abandonam a escola no Brasil. É o que apontou o estudo Políticas Públicas para Redução do Abandono... Ver mais